segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Sem Critério...

Quais são os critérios adotados pelas pessoas na decisão sobre quais os homens que ocuparão suas “camas”?

O ditado “em terra de cego caolho é rei” é válido nesses casos?

Numa comparação desnecessária podemos afirmar que um homem gay pensa em sexo e tem sua sexualidade influenciando no seu dia a dia muito mais do que no homem heterossexual.

Sendo assim, q uando o assunto é a DECISÃO “SIM” ou “NÃO” e não o que acham bonito ou feio, quais são os fatos e pensamentos que determinam uma resposta em detrimento da outra?

O lugar onde estamos e o nível de beleza da maioria das pessoas presentes fazem com que nossos critérios mudem?

Nas cidades pequenas dificilmente encontro pessoas dentro que eu chamo de padrão de busca. Gosto de volume muscular, idade mediana, gente bem resolvida e estabilizada. Normalmente essas pessoas mudam-se das cidades menores assim que tem oportunidade. Por isso, quando penso na maioria das pessoas que eu transei em SmallVille, por exemplo, percebo que eu nem olharia para elas se o momento no qual nos encontramos tivesse sido numa festa com as pessoas que costumo “andar” pelas capitais a fora.

Elas provavelmente não acabaram a noite fazendo sexo comigo.

Não desmereço o poder de uma tarde chuvosa de domingo depois de um fim de semana sem sexo, pois nesses momentos já acabei na cama de umas que torço para que outras jamais saibam.

Algumas vezes as pessoas decidem ser fáceis e perdem as contas da quantidade de pessoas que beijaram na boca. Em outras vezes, essas mesmas pessoas dispensam momentos “afetivos”com as mais cobiçadas do lugar pois buscam naquele momento outra coisa.

Pode uma pessoa ser interessante para “esta” ocasião ou lugar, mas não interessante para “aquela”?

Não tem “TU”, vai “tu”mesmo!!!!

Existe um critério, algo que se busque para a vida? Ou eles – os critérios e a busca – mudam de acordo com o humor do dia e o tesão acumulado?

No meu caso, existem os critérios para o que eu quero da vida, mas eles pouco influenciam nos critérios de quando o que quero da vida é gozar imediatamente.

Coisa de homem ou coisa de gay?

Pensamento normal ou atitude promíscua?

Sendo assim, não seria o par ideal uma combinação do que a pessoa é com a situação que ela vive “versus” a situação em que ela está naquele momento?

Se o ambiente muda todo o cenário da conquista e do envolvimento, podemos – portanto – definir a pessoa ideal adequando o ambiente de modo que ela se torne o “caolho” na terra dos cegos (caso já não “enxergue perfeitamente”)?

Estaria o poder em nossas mãos?

Afinal, é preciso decidir?

Como é para você? O que determinam os seus critérios? Eles são sempre os mesmos ou variam de acordo com o termômetro da sua vontade de fazer sexo?

Resolvi deixar a vida rolar nessa aventura de descobertas, nuances e momentos.

Pelo menos enquanto me sentir feliz assim.

Be Happy!!!

RP

4 comentários:

  1. Acho que você está mais pra "não tem tu, vai tu e mais tu mesmo", hehehe... Deve ser pra não ficar na dúvida entre um e outro! :-)

    Eu acho que, como tudo na vida, "vareia" de acordo com o humor, o dia, a umidade relativa do solo...

    Bom Porto Alegre!

    ResponderExcluir
  2. Creio q nao seja segredo para ninguem q eu curto pessoas + novas, nada me encanta mais do que um garoto na faixa dos 18/20 anos.

    Mas qdo o desejo bate + forte, vou pra cama com trintoes, quarentões e pessoas fora de forma, na boa.

    Acho que existe uma diferença entre o sexo e o amor... "jamais" namoraria um cara + velho, mas no sexo tudo é valido.

    abs

    ResponderExcluir
  3. a cada segundo nosso tipo muda, o que procuramos muda, o que precisamos muda...

    o "tipo ideal" é uma ilusão... acredita nele quem pensa somente no lado sexual...

    creio eu.

    ResponderExcluir
  4. Muito legal seu blog. Parabéns!
    Olha, tem uma notícia sobre bolsas de estudos p GLBT nesse endereço: http://estudar-nos-eua.blogspot.com/2009/12/bolsas-para-estudantes-lgbt.html
    Acho q seria legal divulgar!!
    Bjs

    ResponderExcluir